VITAMINA D PARA DIABETES E DEPRESSÃO



Um ensaio clínico está sendo planejado na Loyola University Chicago Marcella Niehoff Escola de Enfermagem (MNSON), para testar o efeito da suplementação de vitamina D sobre a resistência à insulina e de humor em mulheres diabéticas.

"A deficiência da vitamina D continua a ser um problema a despeito dos benefícios dos nutrientes de saúde amplamente divulgado", observou Sue Penckofer, PhD, RN, professor da MNSON, "Invernos de Chicago compõem este problema quando as pessoas passam mais tempo longe da luz solar, que é uma fonte natural de vitamina D".

A resistência à insulina tem sido associada à depressão, que juntamente com o controle de açúcar no sangue diminuída, é mais comum em mulheres do que homens. Níveis mais altos de vitamina D têm sido associados com um risco reduzido de depressão, diabetes e outras doenças.

A universidade pretende administrar 50.000 UI de vitamina D por semana durante 6 meses e 80 tipo  estáveis para mulheres diabéticas entre 18 e 70 anos de idade com sinais de depressão. Os participantes serão avaliados em três momentos para os níveis séricos de vitamina D e  outros fatores."Há evidências que sugerem que a suplementação de vitamina D pode diminuir a resistência à insulina", comentou o Dr. Penckofer. "Se  pudermos estabelizar os níveis de insulina, que é simples e de baixo custo melhoraríamos o controle de açúcar no sangue  e reduziríamos os sintomas de depressão para estas mulheres".

"A vitamina D tem amplos benefícios para a nossa saúde e para certas doenças crônicas, em particular", acrescentou. "Nossa pesquisa pode lançar mais luz sobre o papel desse nutriente, desempenha na gestão de duas condições que impactam sobre milhões de americanos. Se provou ser bem sucedida, além da vitamina D ser importante para cuidar do diabetes e depressão".



Revista  de Bioquímica Médica