HEPATITE C

 

A hepatite C é uma inflamação do fígado causada pela infecção do vírus tipo RNA,pertencente a familia Flaviviridae a mesma da dengue e febre amarela.

è transmitido através do contato com sangue contaminado.

SINTOMAS:

A hepatite é uma doença crônica e lenta, sendo que a maioria (90%) é assintomática ou apresenta sintomas inespecíficos, como letargia,dores musculares,cansaço,náuseas.

Assim o diagnóstico só costuma ser realizado através de exames de sangue, (doação e exame de rotina).

TRANSMISSÃO:

Transmissão da hepatite C é pelo contato com sangue contaminado.O vírus chega a sobreviver de 16 horas a 4 dias em ambiente externo.

Uso de drogas injetávies

Transfusão sanguínea antes de 1992

Acidentes com agulhas

Transmissão perianal

Menos comum estão o piercing,tatuagens e transmissão sexual.

DIAGNÓSTICO:

1- O principal método diagnóstico para hepatite C é a sorologia anti-HCV (Elisa III) tendo sensibilidade especiífica superior a 95%.

2- PCR qualitativo é o mais sensivel (detecta até quantidades mínimas, como 50 cópias/ml.

3- PCR quantitativo é o menos sensivel (apenas acima de 1.000 cópias/ml), mas informa uma estimativa da quantidade de vírus circulante.

4- A genotipagem avalia qual o tipo de vírus.O Genoma do vírus hepatite C apresenta significativa variabilidade na estrutura primária do seu RNA e pode,de acordo com a sua sequência, ser agrupado em pelo menos 6 principais genótipos.

Denominados de 1 a 6, cada um deles pode ainda ser subdivididos em vários subtipos.

1ª 1b 2ªb etc...

Prevalência 1b-----------------45,6%

3a-----------------32,5%

1a-----------------15,8%

outros----------6,1%

O genótipo 1 tem o pior prognóstico de resposta terapêutica.

O principal fator que leva à grande importância da hepatite C é a sua alta cronicidade. Apenas 15 a 30% das pessoas infectatas curam espontaneamente.

70  a 85% ficam com hepatite crônica. Com a replicação viral o dano hepático é a fibrose (após 10 anos em média) e 20 a 30% dos portadores da hepatite C crônica desenvolvem cirrose após 10 a 20 anos de infecção.

TTO:

1- Ribavirina

2- Interferon

3- Ozônio terapia

1- Medicamentos que agravam a lesão hepática e devem ser evitados:

Quinidina,macrolideos,claritromicina,cemetidine,propafenona,eritromicina,antifúngico.nenfazodone,metil poda,minoxidil, salicilatos,oxazepan,paracetamol,sulfas,cetoconazol,nitrofurantoína,amiodarona,anticoncepcionais,cabamazepina,metrotexate etc

sempre ler a bula do medicamento para avaliar a contra indicação em lesão hepática.

Evita alguns fitoterápicos como: babosa,cascara sagrada,cofrei,sene.

2- Alimentos não recomendados:

Excesso de carne vermelha,pela alta concentração do ferro;

quanto as proteínas; 1g por quilo de peso ao dia.

Alimentos enriquecidos de ferro,panela de ferro.

Restrição ao sal,cafeína,refrigerantes,alimentos refinados,frituras,enlatados, alimentos prontos,chocolate,linguiça,salsicha,presunto,patês,bacon,mortadela,enlatados,queijos,carnes,defumados,molho de soja,mariscos e frutos do mar crus,maionese,catchup.

Tto alimentos recomendados:

Abacaxi,acelga,alcachofra,alcaçuz,alecrim,alfafa,alho,boldo do Chile,castanha do Pará,cebola,chicória, aspargo,alface,banana,maça,manga,pêssegos,nabo,aveia,limão,cenoura,ameixa,batata,uva,pêra,morango,arroz integral,feijão, milho,lentilha,endívia,gergelim,grão de bico,anchovas,acerola,agrião,mel,curcuma,kiwi,arabanete,cogumelos,ovos cozidos e poches.